Noticias

El estado de Washington hace historia al legalizar el consumo de marihuana

Foto: AP

O Estado de Washington se tornou nesta quinta-feira o primeiro dos Estados Unidos a legalizar o uso recreativo da maconha, um fato histórico no país, ofuscado pelo fato de as leis federais ainda proibirem a prática. Com a entrada em vigor da lei, após um referendo realizado há exatos 30 dias, festas em todo o Estado tiveram a erva como ingrediente principal.

Cerca de 200 pessoas se reuniram por volta da meia-noite em frente à Space Needle, uma torre futurista que domina a paisagem urbana, para festejar a liberdade recém-conquistada. «Você pode fumar e não se sentir um criminoso. Realmente não é diferente de beber uma cerveja ou coisa assim, de fato eu penso que é menos nocivo», disse Calvin Lee à emissora de TV local Kiro 7.Leer más »El estado de Washington hace historia al legalizar el consumo de marihuana

Estudio sugiere beneficios de la marihuana en el tratamiento de la epilepsia

Pesquisadores da Universidade de Reading, um dos maiores centros de pesquisa do Reino Unido, descobriram que um dos compostos encontrados na maconha pode ajudar na redução e controle das convulsões em pacientes com epilepsia.

Liderado pelo Dr. Ben Whalley, o estudo inédito demonstrou pela primeira vez que o cannabidivarin (CBDV) – canabinóide pouco estudado até hoje – tem  o potencial de evitar as crises convulsivas, com a vantagem de surtir menos efeitos colaterais do que as drogas anti-epiléticas atualmente utilizadas, que muitas vezes causam tremedeira e agitação incontroláveis.

Na pesquisa, realizada em colaboração com os laboratórios GW Pharma – fabricante do Sativex – e Farmacêuticos Otsuka, o cannabidivarin comprovou sua eficácia no controle das convulsões após ser testado em seis diferentes modelos experimentais comumente utilizados em estudos sobre epilepsia. A substância também mostrou-se eficaz ao ser utilizada em conjunto com outros fármacos anti-epiléticos e, ao contrário de outros canabinóides – como o THC – não possui efeitos psicoativos.Leer más »Estudio sugiere beneficios de la marihuana en el tratamiento de la epilepsia

El componente de marihuana alivia la fobia social

ARARIPE CASTILHO
DE RIBEIRÃO PRETO

Um componente da Cannabis sativa –a popular maconha– é capaz de reduzir a ansiedade de pessoas que sofrem de um transtorno psiquiátrico conhecido como fobia social, diz um estudo da USP de Ribeirão Preto.

Não significa que o uso da erva sirva de tratamento para esse mal. A pesquisa analisou resultados apenas do composto canabidiol, em doses de 600 mg, pela via oral.

De acordo com o pesquisador Mateus Bergamaschi, que fez o trabalho como tese de doutorado, estudos anteriores já apontavam a redução da ansiedade, mas só em pessoas sem transtornos. O ineditismo da pesquisa, segundo ele, foi o uso da substância em universitários com a fobia social e que nunca tinham sido tratados.

«Observamos que apenas uma dose, de 600 mg, já foi suficiente para reduzir o medo dessas pessoas», disse.Leer más »El componente de marihuana alivia la fobia social

10 datos sobre el cannabis que debes saber

Ou já sabia, mas não custa reforçar


Fato #1: A maioria dos usuários de maconha nunca usou qualquer outra droga ilícita.

Maconha não leva as pessoas a usar drogas mais pesadas. A cannabis é a droga ilegal mais popular do mundo, portanto, as pessoas que usaram drogas menos populares, como a heroína, cocaína e LSD, é que provavelmente também usaram maconha. A maioria dos cannabistas nunca usou qualquer outra droga ilegal e a vasta maioria que usou nunca se viciou ou teve problemas associados. De fato, a cannabis é o destino final mais do que a tão chamada porta de entrada.
Fato #2: A maioria das pessoas que usam maconha o fazem ocasionalmente. O aumento no número de admissões em clínicas de reabilitação não reflete o aumento das taxas de dependência química.

De acordo com um estudo do Instituto Federal de Medicina dos EUA feito em em 1999, menos de 10% daqueles que provam cannabis se encaixa nos critérios de dependência, enquanto 32% dos fumantes de tabaco e 15% dos beberrões se encaixam. De acordo com dados federais norte-americanos, as admissões relacionadas a maconha previstas pelo sistema de justiça criminal subiu 48% em 1992 e 58% em 2006. Apenas 45% das admissões de maconheiros se enquadram nos critérios do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais para dependência de maconha. Mais de um terço não tinha fumado nem um baseadinho nos 30 dias anteriores à admissão para tratamento.Leer más »10 datos sobre el cannabis que debes saber

Probado: los cannabinoides son capaces de matar células cancerosas

A cura para o câncer pode estar mais próxima do que se imagina. No último mês de junho, o National Cancer Institute (NCI), dos Estados Unidos, atualizou o tópico intitulado “Cannabis and Cannabinoids” do seu banco de dados online destacando o papel dos canabinóides herbais na morte de células cancerosas, processo clinicamente chamado de apoptose (quando ocorre uma espécie de “auto-destruição” celular). Como já era de se esperar devido à influência & manipulação por parte da poderosíssima indústria farmacêutica, pouco se ouviu falar dessa notícia por aí. Quem trouxe o fato à tona foi o Publius, coletivo de autores responsáveis pelo livro The Cannabis Papers: a citizen’s guide to cannabinoids, lançado em 2011 e disponível gratuitamente abaixo*.

“Nós já conhecíamos há algum tempo a importância do Sistema Canabinóide (SC) no combate ao câncer”, observa Stephen Young, membro do Publius e autor de Maximizing Harm: Winners and Losers in the Drug War (2000). “Estamos felizes em ver o NCI publicando oficialmente essa informação após 37 anos em que eles próprios noticiaram pela primeira vez as propriedades anti-cancerígenas da canábis”, comemora.

Leer más »Probado: los cannabinoides son capaces de matar células cancerosas