Plantio ao Ar livre

Para muitos cultivadores, o plantio ao ar livre é o melhor método. Ele produz “camarões” mais potentes e ao contrário do plantio em estufas, você poderá cultivar “monstros” de 4 metros de altura se as condições forem favoráveis. Sendo a cannabis uma planta naturalmente robusta e de crescimento rápido, ela irá prosperar com bastante sol, mas também produzirá satisfatoriamente com apenas 5 horas de sol direto diariamente. Os raios solares, por terem grande penetração, alcançarão tanto a parte superior como a parte inferior da planta, permitindo um crescimento uniforme quando diretamente expostas ao sol.

Da semente à colheita, o plantio ao ar livre pode ser longo, e apesar de muito prazeroso, o cultivador poderá enfrentar vários problemas. Nos 6 meses ou mais que a planta leva para se desenvolver, chuva e vento podem danificar as flores e animais silvestres e insetos podem comer e destruir sua planta completamente. Essas questões devem ser consideradas e o cuidado redobrado para se evitar problemas.

Entre os muitos benefícios do plantio ao ar livre estão: Não precisar se preocupar com conta de luz, orçamento de estufa, exaustores, luzes, regulagem periódica dos ciclo diurno/noturno, etc. Porém os fatores mais importantes a serem levados em consideração são: Segurança, máxima necessidade de luz direta, qualidade do solo da área escolhida e disponibilidade de água. A junção desses fatores ajudará o cultivador a escolher o melhor local para sua área de plantio. Exposição solar é o primeiro fator ao se localizar um lugar, então tente achar um local inóspito onde o sol incida diretamente pelo maior período de tempo. Se for necessária a escolha entre o sol da manhã e o da tarde, já foi provado que o sol da manhã tem maior penetração. A exposição ideal seria entre às 8 da manhã até às 15 horas, embora entre às 10 e 16 horas seja suficiente. Áreas abertas tem maior exposição solar, porém se for em um terreno inclinado, o lado sul terá maior incidência. Tenha em mente que a luz solar em grandes altitudes é mais intensa devido ao ar rarefeito. A exposição Leste/Oeste é benéfica para se conseguir o sol da manhã e da tarde.

Existem muitas precauções que o cultivador deverá tomar para proteger sua colheita de saqueadores e da lei, incluindo podar os galhos para disfarçar o formato característico da planta de cannabis, além de plantar outras espécies em volta, como soja, tomate, bambú, cana de açúcar, etc.

Quando o cultivo estiver longe de sua casa, numa área inóspita, o acesso à água pode ser problemático. Após a escolha do lugar, longe dos olhos curiosos e com sol em abundância, esse deverá ser o próximo fator em consideração. É preciso que haja uma fonte de água por perto ou pelo menos próxima da superfície, já que de outra forma você deverá carregá-la. Água é pesada e regar dessa forma dará muito trabalho, além dos riscos de se andar até as plantas a cada 4-5 dias em pleno verão. O cenário ideal seria canalizar água de uma fonte em um terreno mais acima, e criar um sistema de gotejamento para alimentar suas plantas em um intervalo fixo. Um pouco de engenharia e criatividade pouparão muito trabalho. Você também deverá decidir se irá plantar direto no solo, que é de longe a melhor opção, ou usar vasos grandes. Plantando direto no solo exclui a possibilidade de raízes emaranhadas e a necessidade de transplante. Embora plantar em vasos permita a mudança de lugar caso a segurança de sua colheita esteja ameaçada, também facilitará a vida de eventuais saqueadores. Uma forma de se impedir isso seria enterrando os vasos.

Uma vez tomada a decisão do lugar apropriado, você deverá começar cavando um buraco grande com pelo menos ½ metro de profundidade. Quanto maior melhor, e se você encontrar raízes de árvores, lembre-se de cavar o buraco o mais largo possível. A qualidade do solo deverá ser analisada, muito embora não exista um tipo de solo perfeito para cultivo de cannabis. Diferentes variedades de espécies crescem em diferentes tipos e condições de solo. Seu objetivo será um solo aerado e de boa drenagem, com alta disponibilidade de nutrientes e com Ph médio. Alguns cultivadores procuram manter o Ph entre 6.3 e 6.8. A planta de cannabis cresce de forma pobre em solos muito compactados, com pouca drenagem e Ph extremos. Você poderá melhorar o terreno misturando condicionadores de solo e compostos orgânicos.

Plantas criadas em solo ao ar livre, crescerão muito mais e necessitarão de mais espaço do que plantas de estufa. O espaçamento entre as plantas dependerá da espécie, e também se a planta será podada em seu topo ou não. Plantas podadas no topo crescem com uma base mais ampla, as vezes com o dobro de tamanho de uma planta não podada. Quanto mais espaço disponível entre as plantas, maior será a incidência dos raios solares, por conseguinte o aumento de sua produção.

Veados, Roedores e Insetos

Veados – Costumam ter um olfato aguçado, seis vezes superior aos cachorros. Veados são sensíveis ao cheiro característicos de seus predadores, como pêlos e urina. Coloque uma garrafa com pequenos furos na parte superior, cheia de urina e bolas de algodão, então pendure com fio de nylon no perímetro onde estão suas plantas. Renove a garrafa a cada 3-4 semanas. Outras formas de espantá-los, seria usando fios de cabelo humano amarrados no caule, ovos podres espalhados em volta ou sabonetes de cheiro forte. Esse métodos deverão ser renovados a cada chuva. Um dos métodos mais simples consiste em fazer uma cerca com apenas uma linha de nylon, aproximadamente 1 metro acima do solo, em volta do terreno de suas plantas. Veados temem o que eles sentem mas não podem ver. Cercas em volta das plantas também podem funcionar mas lembre-se que veados conseguem saltar bem alto. Tente combinar 2 ou 3 métodos descritos acima para se certificar de que suas plantas estarão a salvo dos veadinhos….

Assim como veados os roedores temem os mesmos predadores, os métodos de cheiro de pêlos e urina também deverão funcionar contra eles. Porém existem algumas dicas especificas:

Coelhos – Evitam o cheiro de vinagre, por isso use sabugos de milho verde encharcados com vinagre e espalhe em volta do terreno. Os sabugos podem ser reutilizados. Espalhe uma mistura de pimenta do reino, caiena e páprica no solo em volta das plantas, isso assustará os coelhos fuçando sua colheita, porém esse método deverá ser renovado a cada chuva.

Gambás – Cercar a área com uma fronteira horizontal de materiais que os gambás não gostam de andar sobre, tais como plástico preto amassado, jornal, papel alumínio ou tela de galinheiro levemente acima do solo. Prenda-os com tijolos, pedras ou pinos de metal. Vinagre e bolas de naftalina também funcionarão contra eles.

Esquilos – Não serão problema até a fase de florescimento. Para repelir esquilos, misture flocos de naftalina, gesso e pimenta do chile. Espalhe ao redor da área de cultivo.

Ratos e Ratazanas – Essas criaturas podem arruinar totalmente sua colheita se elas entrarem no recipiente onde você guarda o seu produto final e comê-lo. O que os ratos não conseguem comer, eles defecam em cima, arruinando da mesma forma. Folhas de hortelã secas ou frescas são ótimos repelente, além de aromatizar seu produto.

Cães e Gatos – Se você tem uma certa dificuldade em manter o Rex ou o Félix longe do seu cultivo, aqui vão algumas dicas que não farão mal aos seus animais: Tente assustá-los com ratoeiras de cabeça pra baixo no solo. Isso funcionará não apenas com eles, mas com outras criaturas selvagens também. Mistura de pimentas também poderá afastá-los.

Lesmas – Em geral são comuns e podem até destruir suas plantas, não existindo um meio efetivo de se livrar delas. Sapos, rãs e besouros são inimigos naturais das lesmas e serão bem vindos nas redondezas de seu jardim. Barreiras físicas são boas opções, mantenha em volta de seu jardim, cascas de ovo ou serragem. Manter um prato com sal pode ser uma forma de exterminá-las. Ou enrolar um pedaço de arame em forma de espiral na base de sua planta, isso impedirá as lesmas de alcançarem as folhas.

Insetos Comuns – Receita de repelente orgânico que funciona bem com a maioria deles.

Ingredientes:

  • 3 pimentões verdes
  • 2 ou 3 dentes de alho
  • 3/4 Colher de sopa de detergente líquido
  • 3 copos d’água

Bata os pimentões e o alho no liquidificador e coloque o purê em um recipiente de borrifar junto da água e do detergente. Deixe por 24 horas e depois coe o purê. Borrife as plantas infestadas, tomando cuidado para não atingir as folhas.

Pulgões – Bata uma cebola e 2 dentes de alho no liquidificador com água, coe e borrife a planta protegendo as folhas.

1 comentário em “Plantio ao Ar livre”

  1. João Paulo Santos Silva

    Não quero mais comprar, quero plantar, quero maconha de qualidade e ter o prazer de vê-la crescer . Dá semente até os camarões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.