Comprovado: cannabinóides são capazes de matar células cancerígenas

A cura para o câncer pode estar mais próxima do que se imagina. No último mês de junho, o National Cancer Institute (NCI), dos Estados Unidos, atualizou o tópico intitulado “Cannabis and Cannabinoids” do seu banco de dados online destacando o papel dos canabinóides herbais na morte de células cancerosas, processo clinicamente chamado de apoptose (quando ocorre uma espécie de “auto-destruição” celular). Como já era de se esperar devido à influência & manipulação por parte da poderosíssima indústria farmacêutica, pouco se ouviu falar dessa notícia por aí. Quem trouxe o fato à tona foi o Publius, coletivo de autores responsáveis pelo livro The Cannabis Papers: a citizen’s guide to cannabinoids, lançado em 2011 e disponível gratuitamente abaixo*.

“Nós já conhecíamos há algum tempo a importância do Sistema Canabinóide (SC) no combate ao câncer”, observa Stephen Young, membro do Publius e autor de Maximizing Harm: Winners and Losers in the Drug War (2000). “Estamos felizes em ver o NCI publicando oficialmente essa informação após 37 anos em que eles próprios noticiaram pela primeira vez as propriedades anti-cancerígenas da canábis”, comemora.

Em 1975, o NCI publicou um estudo relatando a atividade antineoplásica (anti-cancerígena) dos canabinóides. Dando sequência ao trabalho, desta vez os pesquisadores buscam estabelecer como isso acontece e afirmam: “canabinóides podem causar efeitos anti-tumorais através de diversos mecanismos, incluindo a indução da morte celular, inibição do crescimento das células e do processo de metástase”.

“O governo norte-americano patenteou os canabinóides em 2003. Nos anos seguintes, várias pesquisas foram publicadas por órgãos como o International Association for Cannabinoid Medicines e o International Cannabinoid Research Society“, completou Young.

As novas atualizações divulgadas pela NCI mostram como canabinóides combatem especificamente os cânceres de mama, cólon e de pulmão.

Fonte: PR Web / semSemente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.