Passo a Passo

Plantio ao Ar livre

Para muitos cultivadores, o plantio ao ar livre é o melhor método. Ele produz “camarões” mais potentes e ao contrário do plantio em estufas, você poderá cultivar “monstros” de 4 metros de altura se as condições forem favoráveis. Sendo a cannabis uma planta naturalmente robusta e de crescimento rápido, ela irá prosperar com bastante sol, mas também produzirá satisfatoriamente com apenas 5 horas de sol direto diariamente. Os raios solares, por terem grande penetração, alcançarão tanto a parte superior como a parte inferior da planta, permitindo um crescimento uniforme quando diretamente expostas ao sol.

Da semente à colheita, o plantio ao ar livre pode ser longo, e apesar de muito prazeroso, o cultivador poderá enfrentar vários problemas. Nos 6 meses ou mais que a planta leva para se desenvolver, chuva e vento podem danificar as flores e animais silvestres e insetos podem comer e destruir sua planta completamente. Essas questões devem ser consideradas e o cuidado redobrado para se evitar problemas.

Entre os muitos benefícios do plantio ao ar livre estão: Não precisar se preocupar com conta de luz, orçamento de estufa, exaustores, luzes, regulagem periódica dos ciclo diurno/noturno, etc. Porém os fatores mais importantes a serem levados em consideração são: Segurança, máxima necessidade de luz direta, qualidade do solo da área escolhida e disponibilidade de água. A junção desses fatores ajudará o cultivador a escolher o melhor local para sua área de plantio. Exposição solar é o primeiro fator ao se localizar um lugar, então tente achar um local inóspito onde o sol incida diretamente pelo maior período de tempo. Se for necessária a escolha entre o sol da manhã e o da tarde, já foi provado que o sol da manhã tem maior penetração. A exposição ideal seria entre às 8 da manhã até às 15 horas, embora entre às 10 e 16 horas seja suficiente. Áreas abertas tem maior exposição solar, porém se for em um terreno inclinado, o lado sul terá maior incidência. Tenha em mente que a luz solar em grandes altitudes é mais intensa devido ao ar rarefeito. A exposição Leste/Oeste é benéfica para se conseguir o sol da manhã e da tarde.Continue a ler »Plantio ao Ar livre

Niveis de PH e EC

Solo

Para o cultivo em solo, existe uma regra comum entre os cultivadores, que é usar 50% da dose recomendada pelo fabricante. Growers seguem essa regra, sem de fato saber a concentração de sal que eles estão dando à suas plantas. Para o cultivo em solo, um medidor de EC é a ferramenta mais importante para se chegar à dosagem correta. É por isso que todas as pessoas que valorizam suas plantas, não podem deixar de fazer este pequeno investimento (por volta de R$ 120,00)

Para demonstrar o quão importante saber o EC, nós testamos 5 marcas de fertilizantes populares. Somente os fertilizantes para floração foram testados, porque é nessa fase onde os growers fertilizam com mais frequência (seguindo a ideia de que com mais fertilizante, terá maior produção) e durante essa parte do ciclo de vida, a planta se torna mais sensível ao acumulo de sais.

Antes de olharmos os resultados, é importante entender uma coisa: Geralmente ninguem deveria fertilizar com EC acima de 0,8 quando se usa solo (terra)Continue a ler »Niveis de PH e EC

Nutrientes

Quando adubamos uma planta, na verdade o que tentamos é fornecer a ela exatamente o necessário de nutrientes para que ela desenrole o seu crescimento de forma sadia e assim se mantenha em suas fases posteriores.

Deixo para que vocês entendam melhor uma explicação básica sobre todos os nutrientes que uma planta de cannabis usa no seu ciclo de vida. Muitos desses nutrientes já se encontram em adubos preparados para cannabis mas no Brasil temos que procurar com calma um adubo que seja convincente e tratar possíveis deficiências com seu devido nutriente.

O grande problema de novos cultivadores, talvez por achar que quanto mais adubo colocar mais a planta crescerá, é a super dosagem de nutrientes. A planta não pode receber nem nutrientes de menos e nem demais, por isso temos que estar atentos a dosagem recomendada. Um grande segredo é sempre que começar a adubar a planta, (seja no sua fase de crescimento ou floração), com a metade do recomendado e ir subindo a cada adubada até chegar a dose certa, isso é bom para que a planta vá se adaptando ao adubo.

Continue a ler »Nutrientes

Regar

Para ter crescimento rápido, bastante resina e potência, você precisa tomar cuidado com a água, vegetativo deve ser molhado em 3 ou 4 dias dependendo… Continue a ler »Regar

Cultivo Organico

Nutrientes Orgânicos 

A primeira razão para se utilizar nutrientes orgânicos em vez de químicos, é porque a chance de se queimar as plantas (superfertilização causando problemas ou morte) é quase zero. Ao alimentar com substâncias orgânicas, a planta só absorverá o que ela necessita, deixando o resto no solo. Adicionalmente, fertilizantes orgânicos são quebrados lentamente por microorganismos do solo, o que assegura um suprimento constante para suas plantas; além disso, ter muitos microorganismos presentes no solo é benéfico para o solo e consequentemente para suas plantas também.

Fertilizantes químicos, por outro lado, são altamente solúveis e geralmente encontrados com uma maior concentração do que fertilizantes orgânicos. Após aplicados no solo, eles são rapidamente absorvidos pelas raízes. Por sua alta concentração, essa ação rápida irá causar uma dosagem tóxica dos nutrientes, se for usado em excesso, levando a problemas ou até a morte da planta. Ainda por cima, fertilizantes químicos deixam resíduos salinos no solo. Se a planta não for enxaguada periodicamente (cada 1-2 meses), esses sais podem se acumular em níveis perigosos para a planta. (Nota – Se o solo não for enxaguado um pouco antes da colheita, o gosto de seu fumo será afetado negativamente.) Finalmente, fertilizantes químicos tem um efeito devastador nos microorganismos do solo, incluindo minhocas.Continue a ler »Cultivo Organico